Los 3 enemigos mentales que te impiden cambiar tus hábitos

Os 3 inimigos mentais que te impedem de mudar seus hábitos

Segue-me no Facebook

Aqui você encontra artigos interessantes, reflexões e conselhos úteis que não compartilho no outro lado.

×

Siga-me no Instagram

Gostaria de ver o que se passa por trás da tela? Só no Instagram compartilho momentos pessoais e inéditos que não consegue encontrar em nenhum outro lado.

×

Siga-me no Pinterest

No Pinterest compartilho todos os seus conteúdos favoritos em forma visual. Receitas saudáveis, Rotinas de Exercício e Downloads Gratuitos. Não perca!

×

Siga-me no YouTube

Receba as minhas melhores conteúdos semanalmente em vídeo! Ainda não comecei o meu canal, mas se você se inscreveu agora você receberá um presente exclusivo assim que estiver pronto.

×

“Tu, tu, tu mesmo, tanto quanto qualquer pessoa em todo o universo, merece o seu amor e carinho”. -Buda

Chega o domingo, se você proposto comer melhor, parar de fumar, dedicar um pouco de tempo para meditar ou até mesmo tirar 20 minutos para ler esse livro que está pegando poeira em cima da mesa.

Talvez você também quer estrear de uma vez esse conjunto de roupa de lycra fosforite que você comprou há 2 meses para sair a correr.

Mas nesta segunda-feira, como todos os outros, torna-se uma segunda-feira frustrante onde não ganha nada do que você propôs.

“Por que narinas me custar tanto mudar de hábitos?”.

“Se é que eu sou uma inútil que não tem força de vontade”.

“Melhor não dizer a minha namorada, porque vai pensar que eu sou um fracasso”.

“Mas é que tem razão, eu sou um fracasso!”

E assim se vai contando a si mesmo um monte de lindezas que para nada ajudam a aumentar a motivação que você precisa para obtê-lo da próxima vez.

Bom…paramos para segunda-feira seguinte, para ver o que acontece…

Mas há um problema fundamental e muito importante que você não está levando em conta na hora de conseguir mudar de hábitos. Vamos começar pelo princípio.

Os 3 inimigos mentais que te impedem de mudar de hábitos

imagem13-03-2018-13-03-57

1.- O perfeccionismo

imagem13-03-2018-13-03-58

Empossar você é uma pessoa perfeccionista, embora você ache que não.

A pessoa perfeccionista não é aquela que faz tudo perfeito, mas aquela que quer fazer tudo perfeito.

Agora me diga, como você é?

– Você angústias quando as coisas não se saem perfeitas?

– Vais deixar de tentar aquilo que acha de antemão que não poderá fazer para a perfeição?

Já vamos entendendo. Permite ver as coisas em preto e branco, para ti não há cinzentos. Acha o cinza uma cor fraca e para fazer as coisas regular preferir não fazê-las.

Te entendo perfeitamente porque eu era o mesmo, e este passa grandes contas. As pessoas perfectionists costumam cumprir certas características que, a priori, poderia parecer uma vantagem, mas que já começou a verificar na sua própria vida que não o são.

  • Você precisa ter tudo sob controle
  • Não encaixa bem os “erros”
  • Se você exige o máximo em cada coisa que você faz
  • Do mesmo modo que se exige a ti, exige aos outros
  • Quando se exige muito, em uma área de sua vida, a nível profissional, por exemplo, negligenciar o resto de áreas (família, amigos, lazer)
  • Você é uma pessoa rígida: tudo ou nada, o branco ou o preto, sim ou não, ou para ti ou contra ti…

Assim era eu, e posso garantir que é cansativo.

Quando você quiser mudar de hábitos e é desta forma, o único caminho é obtê-lo para a primeira ou desistir. De fato, se você acha que não vai conseguir diretamente passas de tentar. Melhor não fazê-lo suportar o fracasso, certo?

Como te entendo…

2.- Desespero total

imagem13-03-2018-13-03-58

E aqui vai o seu segundo inimigo.

O que te ocorre, normalmente, quando você quiser mudar de hábitos e não conseguir?…

Eu Te desesperas!

É frustrante, segunda-feira, depois de segunda-feira, semana após semana, a cada 1º de janeiro, como vai assistir impotentemente o novo fracasso em seus propósitos.

Não só se invade o sentimento de culpa antes mencionado, mas também:

– Se agobias

– Se estressado

– Você angústias

– Você entra de mau humor

– Se render,

– Te condenas

– Se você trata mal

– Você diz coisas que não diria nem para o seu pior inimigo…

Você entra em um loop horrível que não pode sair. Parece que tiveres matado alguém.

“Já não tento mais”!

Te resignas, mesmo que seja só até segunda-feira seguinte, para continuar a ter excesso de peso, a seguir tendo dores nas costas por não exercitar-se, a seguir, dormindo mal por ver televisão até tardísimo, etc.

O que mais você pode fazer!? Se você já tentou de tudo certo?

3.- O sentimento de culpa

imagem13-03-2018-13-03-58

Outro de seus inimigos, se você está tentado mudar de hábitos é o sentimento de culpa.

Quando as coisas não se saem como você queria, Deus!, parece que acabou o mundo.

O sentimento de culpa faz você acreditar que você é a pessoa mais baixa e a mais fraca de todo o universo. E isso não ajuda. Não dizes a ninguém porque não quer parecer fraca, mas você se sente muito culpado por todos esses hábitos que você está tentando mudar e que não se consiga levar a bom porto.

– Se você tiver nomeado, deixar de fumar e não conseguir, o sentimento de culpa vai fumar mais

– Se te tens proposto emagrecimento e também não pode, nesse dia, comerás o triplo para gerir a sua ansiedade por não ter conseguido

– Se o que queria era sair para andar um pouco e o estresse tem sido para contigo, a noite não dorme porque, claro, você sabe perfeitamente que o exercício físico lhe ajudaria a dormir melhor e não conseguiu nem sair para caminhar. Se sugestionas e boicoteas continuamente.

Então, não, hein!

Como te disse no início, te entendo perfeitamente, porque essa pessoa que estava descrevendo poderia ser eu, há alguns anos.

Mas os anos passam e o melhor que você pode fazer por que o caminho é aprender.

Assim, tentando aprender a cada dia, descobri que era aquilo que sempre fazia quando não conseguia mudar meus hábitos, e que me afastava cada vez mais de conseguir meus objetivos: o auto punição!

Ao topar com a culpa é comum auto castigados

imagem13-03-2018-13-03-58

Ele é a ferramenta mais poderosa para continuar minando sua auto-estima, e tendo uma auto-estima baixa é muito mais difícil conseguir mudar de hábitos.

É um vício ao que recorremos quando deparamo-nos com a culpa.

Por que nos auto castigamos?

Tem-Se escrito muito sobre o castigo e o auto-punição.

Este estudo aborda o tema sob o ponto de vista psicanalítico, e a parte onde intervém Freud me parece bastante interessante. 1

Desde que nasceste lhe inculcaram que o castigo era uma forma de limpar a culpa, então, quando você se sente culpado, se causar certas formas de castigo, para aliviar o mal-estar que se produz a sensação de ter feito algo errado. 2

Se se trata de mudar de hábitos, a quem você conhece que seja capaz de fazê-lo sem problema?

Quantas pessoas você conhece que querem mudar de hábitos e o façam sem mais, sem esforço algum?

Eu, sinceramente, muito poucas. Menos mal que temos o blog de Tania para resolvê-lo!

Você já se deu conta de que quando você deseja mudar qualquer hábito e não conseguir, o mal-estar que sente, chega a ser insuportável.

Em alguns momentos você começa acallarlo, que não evitá-lo, pondo todo o tipo . No entanto, a culpa continua lá e o auto punição aparece de mil maneiras

  • Isolamento: se castigas apartándote do mundo para não ter que suportar o fracasso
  • Stress: se você ocupa todo o seu tempo, se o estresse não se permite nem respirar, você encontra nesta situação, a melhor forma de justificar a sua falta de energia para mudar de hábitos
  • Fazer más escolhas a propósito: aproximar pessoas que você sabe que podem te prejudicar de alguma forma, ir a lugares que você sabe que lhe farão sentir mal, fazer tarefas que você odeia
  • Deixe que sua mente se destrua: normalmente, isso é feito de forma inconsciente, porque deixar que sua mente tenha vida própria, sem exercer nenhum controle sobre seus pensamentos. Deixa que ela fale à vontade e diga coisas como: “eu nunca poderei mudar de hábitos”, “sou fraco”, “não tenho força de vontade”, bla bla bla.

Mas deixe-me perguntar uma coisa:

O Castigarías a sua melhor amiga porque não baixo peso? o castigarías seu companheiro porque voltou a fracassar em sua tentativa de parar de fumar? o castigas a tua mãe, porque não há nariz que saia a andar de vez em quando?

Você não verdade?… então, por que a si mesmo que sim, que se castigas?

Imagine que cada vez que alguém próximo não consegue mudar seus hábitos viesse a polícia e ele parasse…

Porque pode ser que isso fosse mais suportável de suportar do que o que tu fazes contigo mentalmente através de seus próprios castigos.

Pense nisso: seria muito mais saudável colocar o foco em estar toda a vida sofrendo com seus próprios castigos mentais, o que também afeta a sua auto-estima.

O auto punição afeta sua auto-estima

imagem13-03-2018-13-03-58

Conheço muito poucas pessoas com uma auto-estima saudável. Talvez, mais eu teria que dizer que o que mais e o que menos se vê travagem por sua falta de auto-estima em algum momento de sua vida.

É normal, e muito , ter algum apartamentos espaçosos com o nosso amor-próprio.

É um círculo vicioso, uma baixa auto-estima, faz com que apareçam esses inimigos mentais e estes afetam de volta a sua auto-estima, 3

E quanto mais problemas de auto-estima tiver, maiores punições te dar apoio e maior será a dificuldade para conseguir mudar de hábitos.

  • Se você quiser um pouco.
  • Se você acha pouco merecedor de tudo o que você tem (nesse caso, mudar de hábitos).
  • Se te disseram que você não vale nada, e se tiver crido.
  • Se você vê mais coisas negativas que positivas em ti.
  • Se te deixas levar por a culpa…

Será muito difícil que consiga mudar de hábitos que lhe permitam ter uma vida melhor e sentir-se bem consigo mesmo.

Vou dar um exemplo real de até que ponto pode chegar a castigarte em alguns momentos, devido à falta de auto-estima:

Há muitos anos, meu então namorado sofreu um acidente de carro. Ele era o que conduzia, e, embora ninguém lhe aconteceu nada, sentia-se terrivelmente culpada pelo ocorrido.

Passado o susto e quando já tinha voltado tudo ao normal, passou muito tempo até que voltou a recuperar a sua alegria.

Se repreendeu a si mesmo não se permitindo estar alegre, em nenhum momento, durante meses. Quando estávamos juntos e ele ficou rindo ou agindo normal, dizia: “não, eu não posso rir, eu tenho que pagar pelo que fiz”.

Você parece normal? Você acha que se resolve alguma coisa dessa maneira?

Se meu namorado tivesse uma auto-estima saudável, em vez de auto castigados teria podido ver as coisas de outra maneira e se esforçar para que isso não voltasse a acontecer.

Começa a mudar de hábitos, de forma saudável

imagem13-03-2018-13-03-59

Se a sua meta para mudar de hábitos é ser uma pessoa mais saudável, o processo para alcançá-lo, não tem porque ser doente, não tem porque ser doloroso.

De nada lhe vai servir tentar uma e outra vez mudar de hábitos se não conseguir à primeira te dar em cima de toda a merda que está.

O auto punição, da culpa, o perfeccionismo e o desespero não te leva a lugar nenhum.

Para mudar hábitos de forma saudável, eu recomendo o seguinte:

1.- Aprenda a assumir seus erros

imagem13-03-2018-13-03-59

O que te faz pensar que você pode ser perfeito? Quem você conhece que tenha conseguido?

Que sim, que está bem novamente, mas por seu bem, não para afundar-se cada vez mais por não chegar nem na metade do caminho. Por certo, um caminho muito exagerado às vezes, não te parece?

Ninguém é perfeito, você também não, e nunca o vai conseguir.

Vai, respira, será que isso não te deixa mais tranquilo? Você não se sente menos pressionado?

Sim, você pode fazer muitas coisas para se sentir melhor a cada dia.

Uma das primeiras coisas que você pode fazer é alterar a palavra culpa por responsabilidade, e erro em lição. Começa por aí.

Alguns simples ajustes nas coisas que dizes poderão resultar em alterações substanciais em sua predisposição para seguir tentando mudar de hábitos. Assume que haverá vezes em que você conseguir a primeira e, outras vezes, não, e não acontece nada!

Castigarte não minimiza o “erro”, o suposto erro que você cometeu, continua lá e se acima se castigas se martirizará duplamente.

Trabalha com a ilusão, o que você quer, porque cada vez que você tente você estará mais perto de o conseguir. E essa sim é uma responsabilidade sua!

2.- Ponte objectivos realistas (começa com pouco)

imagem13-03-2018-13-03-59

Mudar hábitos não é fácil, se fosse tão fácil Tania não dedicaria todo o seu trabalho a este aspecto fundamental de seu bem-estar.

O melhor que você pode fazer para não se sentir tão pressionado por seus próprios objetivos é incluir um logotipo da sua objectivos realistas.

Se o 1 de janeiro pretende:

  • Deixar de comer açúcar.
  • Fazer exercícios 3 vezes por semana.
  • Ir ver a tua mãe todos os sábados.
  • Sair às 6 de escritório.
  • Passar mais tempo com seus amigos.
  • Começar a beber cerveja sem álcool.
  • Aprender russo.
  • E viajar para um lugar agradável, uma vez por mês…

Você está fodido!

Passo-a-passo é muito mais fácil. Entre os objetivos de cada um, porque se não se agobiarás e não conseguirá nenhum dos 837 objetivos que você proposto.

E esse primeiro objetivo do que se propusiste, começa com uma ação muito pequeno e fácil de conseguir, olhe: uma ação muito pequena será fácil de fazer ao pé da letra, que não fallarás (e não sentirá culpa nunca mais)

Já sei o que você está pensando: “mas, como é que uma ação tão fácil me vai dar os resultados que eu quero”

Ser constante irá ajudá-lo a manter sua auto-estima e lhe permitirá alcançar maiores objetivos em pouco tempo. Além disso um hábito saudável, de início tem o poder de desencadear uma reação saudável em muitas áreas de sua vida (que ainda não tinha referidas).

O surpreendido?… Esta série de vídeos lhe dizem como e por que.

3.- Adórate

imagem13-03-2018-13-03-59

Se você pretende mudar de hábitos quando você tem o mesmo apreço que você tem vizinho de sua avó, mal, vamos lá.

Para que sua força de vontade seja poderoso, para ter-lhe perseverança necessária para obter o que deseja, e para ter a capacidade de não auto castigarte quando as coisas não se sair como você queria, é fundamental que você trabalhe sua auto-estima.

Ámate acima de todas as coisas e seus maus hábitos irão desaparecendo porque quer o melhor para ti em todo o momento.

Se você está lendo até aqui, espero que tenha compreendido que castigarte não lhe permite crescer.

Todo mundo tem algum hábito que você gostaria de mudar, mas cada qual tem seu caminho e é aí onde estão os aprendizados.

Se em vez de ler este blog e auto flagelarte porque você não consegue nem a metade das coisas que se propõe a Tania, te desses conta de que se trata de ir dando pequenos passos até conseguir grandes conquistas, lhe seria muito mais fácil mudar de hábitos, sem sofrer na tentativa.

Dá o melhor de si em cada momento, tendo em conta que nem sempre se sairá tudo como quiser.

Procura fazer o melhor possível, e quando não possa ser assim não te maltrates! Pegue forças e impulso para que a próxima vez que você tentar se aproxime um pouco mais perto de seu objetivo.

E agora, se você já decidiu começar a trabalhar sua auto-estima. Espero que aproveite muito!

As duas Tanias te agradecemos de coração que nos contases suas impressões nos comentários: És dos que se auto-punir quando as coisas não saem como quer? o que hábitos são converitido nessa piedrita no sapato?

Ajuda a mais pessoas a combater seus inimigos mentais Compartilhe!

  •  
  •   
  •  
  • Tania Carrasco

    Eu levei muitos anos para perceber que a minha falta de auto-estima era o único que não me permitia alcançar os meus sonhos, então eu coloquei mãos à obra e agora me dedico a ajudar os outros a superar seus complexos e ser cada dia um pouco mais livres.

    Editado 01.11.2017

    Este artigo foi enviado primeiro para os assinantes.

    Cadastre-se GRÁTIS e receba o seguinte artigo antes de mais ninguém. Além de receber conteúdos e benefícios exclusivos que só você pode saber mais por e-mail.

    16 Comentários:

    Deixe um comentário

  • Olá, como você está.tenho muito o que fala em seu artigo e confesso que tem toda a razão há que mudar os hábitos nocivos por outros mais saudáveis porque uma coisa se eu te garanto e me ensinou o meu próprio organismo e que, quanto mais rígido e sério você levar as coisas na vida e assim mesmo você vai tentar a vida e veja como ele fez comigo e com problemas de hipertensão agora eu quero ser o mesmo de antes q com uma sessão de meditação era o suficiente para me sentir como se o fizesse por ar.é que me dura pouco, o bem-estar e tenho q repetir com mais frequência as sessões.então, Resumindo ou se autocontrolas ou se puerdes em um abismo detontos e estúpidos pensamentos que não produzem nada.Saudações Tania.obrigado

  • Olá Roberto!
    Se, às vezes nos perdemos em pensamentos que nos prejudicam mais do que pensamos, e ainda por cima, quando nos damos conta continuamos a punir.
    Temos que aprender a respeitar e a nos tratar com mais amor, porque todo mundo erra e tem defeitos, mas não é por isso que somos pessoas menos valiosas.
    Quanto a ti, talvez no início você tenha que aumentar as sessões de meditação, até que sua mente se vá acostumando. Mas você vê que, se perseverares e te trata com mais carinho a cada vez que você irá custar tudo de muito menos.
    Obrigado por comentar!
    Um forte abraço

  • Eu acho que uma vez alcançados os objetivos é necessário assumir estes sucessos e não , ao contrário, acreditar que é inexorável voltar aos hábitos infelizes.

  • Olá Margarida!
    Conseguidos os objectivos há que se reconhecer os sucessos, é claro, é uma parte muito importante no processo que, além disso, ajuda-nos a reforçar a auto-estima.
    Quanto a evitar os maus hábitos, depende…Se o mau hábito é, por exemplo, fumar e depois de deixá-lo se fuma um cigarro e volta a cair, é melhor evitar esse cigarro. Se o mau hábito é comer doces diariamente, porque um dia você sair da norma, não vai acontecer nada. Os maus ou bons hábitos vão depender muito da freqüência e o grau em que afectem a saúde. Não é o mesmo que comer esse doce uma pessoa supostamente saudável que alguém que sofre de diabetes.
    Obrigado Margartita!

  • Acabei de ler :D, me faz ver que é autoflagelarse causa mais tristeza e pouca vontade de continuar com o que eu propus, como mais e continuo triste, e não aprecio o avanço que eu tive, quero começar e não parar na mudança de habito que eu quero fazer, que já está afetando a minha saúde, o mau hábito que eu tenho de comer junk food e picante, mas nem pensar em minha saúde deixo de comer e comer pão, frituras, refrigerante, pizza, coisas que já nem me sabem rico, chego ao ponto em que meu estomago esta tão cheia que eu quero vomitar, mas continuo comendo.
    Depois de ler isso eu me dou conta que não me amo tanto como deveria, se me amar, não me prejudicasse, isso não o faço com meu namorado, porque eu não posso amar-me para não dañarme?, me lastimo, porque eu acho que não mereço essas conquistas que vejo e sinto quando estou seguindo a dieta, além preciso ser paciente, algo que eu não sou quase nada.
    Espero realmente conseguir mudar o meu péssimo habito por um novo e ser constante, algo que eu nunca fui.

  • Olá Beatriz!
    Você está certo no lugar certo porque o blog de Tania vai te dar muita luz em todo este caminho.
    Às vezes colocamos o foco no lugar errado e perdemos de vista a base do “problema”. Cada pessoa é um mundo e não a todos os que nos servem as mesmas técnicas.
    No seu caso, para começar, iria reforçar a auto-estima um pouco mais, porque isso não se consegue em um dia e já está. É um processo longo, mas muito interessante e enriquecedor.
    Fins, que o primeiro passo é estar ciente do que está acontecendo para poder alterá-lo se nos prejudica, e tu isso fizeste o valente!
    Estou do outro lado para o que precisar.
    Um abraço

  • Muito obrigado, Tania, pelo artigo.
    Me são muito enriquecedoras este tipo de leituras!!
    No meu caso, há certos hábitos que tenho tempo tentando mudar, e eu tentei sempre tentando ser mais “dura/disciplinada/rígida” para conseguir os meus objetivos e, após a frustracion de não realizá-los, eu sempre pensei que me faltava mais dureza, mais disciplina e mais rigidez. É neste ponto, neste ponto em que eu tenho que enfrentar estes inimigos psicológicos que você mencionou, que são totalmente contraproducentes… E é muito importante ter em conta!
    De tudo o que você escreveu, eu fico com as seguintes dicas:
    – Contra o perfeccionismo: “better than done perfect!”
    – Contra a frustração: “objectivos realistas e um a um”
    – Contra o autocastigo: “amar é a melhor maneira de fazer o melhor para mim em cada momento”

  • Olá Ana!
    Você entendeu perfeitamente o que eu queria transmitir, e isso me alegra muito.
    Eu também era de que quando não conseguia o que se havia proposto achava que precisava de mais disciplina e rigidez, quando o que precisava era de mais amor.
    Há pessoas que a rigidez pode funcionar, mas essa não sou eu a partir de então. E vejo que você também não 😉
    Obrigado por deixar um comentário tão valioso!
    Um abraço

  • Muito obrigado, Tania, pelo artigo.
    Me são muito enriquecedoras este tipo de leituras!!
    No meu caso, há certos hábitos que tenho tempo tentando mudar, e eu tentei sempre tentando ser mais “dura/disciplinada/rígida” para conseguir os meus objetivos e, após a frustracion de não realizá-los, eu sempre pensei que me faltava mais dureza, mais disciplina e mais rigidez. É neste ponto, neste ponto em que eu tenho que enfrentar estes inimigos psicológicos que você mencionou, que são totalmente contraproducentes… E é muito importante ter em conta!
    De tudo o que você escreveu, eu fico com as seguintes dicas:
    – Contra o perfeccionismo: “better than done perfect!”
    – Contra a frustração: “objectivos realistas e um a um”
    – Contra o autocastigo: “amar é a melhor maneira de fazer o melhor para mim em cada momento”
    Uma saudação!

  • Olá, excelente artigo, muito simples de entender e profundo de cada vez. Nossos problemas que vemos diariamente é a ponta do aiceberg o que realmente acontece no interior. Posso dizer que eu também me auto punia por não acreditar que poderia conseguir mudar meus hábitos de frente para a comida. Contudo, ser um pouco mais analítica do meu agir, me dei conta que desde criança me auto flagelaba inclusive fisicamente por muito detestável culpa e perfeccionismo. Esses inimigos só produzem como menciona o artigo desespero e pessimismo perante a vida. No meu caso pessoal eu demoré anos em compreender que minhas decisões têm um porquê na minha falta de auto-estima e que minha auto-estima estava sendo literalmente saboteada por inimigos mentais. Estes inimigos não são por si só são explorados por vivências e pensamentos encapsulados em nosso subconsciente. Fico feliz em saber que tem solução e que embora você não pode alterar seu passado e a má decisão ( fumar, comer, procrastinar) de antes, sim, você pode melhorar o seu presente e futuro, que o pior que se pode fazer contra si mesmo é não se aceitar e perdoar os erros. Obrigado pelo blog e pela redação deste tema. A maior parte de nosso futuro é construído de acordo com o enfoque que damos ao nosso passado e o sentido que damos ao nosso presente. Um grande abraço a todos

  • Lindo testemunho Macarena!
    A partir de então que a nossa conduta de hoje é marcada por acontecimentos do passado. Nesse passado, foi onde se forjou a nossa auto-estima e onde nos ensinaram que errar era ruim e tinha que pagar por isso. Assim, quando fazemos essas coisas “ruins”, já não faz falta que ninguém nos punir, porque surge de forma natural.
    Mas claro que você pode mudar!
    Tenho insistido e continuo insistindo muito em que a base é o nosso próprio amor. Por mais que tentemos mudar os nossos hábitos nos servirá de pouco se não nos queremos. Porque uma pessoa que não se quer tem que se esforçar muito para ser fornecidas a coisas positivas, uma vez que, no fundo, acredita que não as merece.
    A mim também me levou muitos anos a compreender essas coisas, e isso não significa que a tenha resolvido tudo e seja perfeita. Mas sim que, no entender melhor posso agir de outra maneira, em muitas ocasiões. Quando você me conhecer melhor eu sei que é o que eu preciso em cada momento. E como eu quero muito, eu sei que não sou perfeita e que por muita evolução que haja em mim nunca o serei. Amor, aceitação e compreensão para nós mesmas, para que, desse modo, nos custe muito menos mudar de hábitos.
    Muito obrigado por enriquecer esta “conversa”.
    Um abraço

  • Olá Tanias!

    Que interessante o artigo e o blog que não conhecia. Adorei o ponto de que o autocastigo mina a auto-estima, e como não somos, se quiser conscientes. Outro dia alguém me disse que a auto-estima é uma falácia e está sobre-valorizado. Cortocircuité um pouco do que estava ouvindo, mas em seguida voltei a mim, para descobrir que aquela afirmação vinha de alguém que carecia de amor e classificação para si mesmo.
    Estou totalmente convencida de que o amor próprio é algo que se ensina, e aquela conversa me ensinou que em lugar de condenar esses comentários, eu preferia ouvir e entender outros pontos de vista, e talvez, assim, ajudar a pessoa a ganhar um pouco de confiança 😉
    Um abraço aos dois e obrigado por compartilhar tanto conhecimento.

  • Olá Helena!
    Sim, provavelmente essa pessoa não tinha amor. Uma pessoa que se quer e ama o que lhe rodeia não acho que ele usasse essas palavras.
    Fizeste muito bem em respeitar a sua opinião, nunca se sabe de pessoas que podemos aprender com as maiores lições.
    Minha experiência me diz que o auto punição é uma barreira muito grossa que nos impede de alcançar o que queremos e que, portanto, acaba com a nossa auto-estima, sem que sequer saibamos que isso está acontecendo.
    Eu tenho punido de forma inimaginável pensar que o fazia justamente pelo meu bem. Auto punição, auto-ilusão, auto-estima…um concessionário vou andar a ver o que acontece 😉
    Obrigado por comentar Elena!
    Muuuuuuuá

  • Lol OBRIGADO!

  • Totalmente de acordo contigo! Acho que esses são meus principais três inimigos, muitas vezes, não quero quebrar a dieta nem um dia, e se supõe que temos que ter um dia para dar um gosto, pois quando como por exemplo um pedaço de pizza me sinto culpado e que eu posso fazer isso, mas da mesma forma sinto que estou falhando em alguma coisa, tambie quando eu coloco uma meta e não perder o peso desejado, eu me sinto muito mal e, às vezes, são 100gr mas da mesma forma há algo em mim que me faz sentir mal por esse pequeno detalhe. Excelente post, espero que continuem com o bom conteúdo!

  • Eu Te entendo perfeitamente! A mim me passava exatamente o mesmo, eu exigia muito e por isso a minha auto-estima caiu bruscamente. Quando exigimos tanto renunciamos a muitas partes de nós mesmos que nos beneficiam muito mais. Deixamos de ser detalhadas, nos transformamos em nosso pior inimigo.
    Eu amo que te tenhas dado conta de como você funciona, porque ter consciência de tudo o que nos acontece é a única forma de poder corrigi-lo. Mas agora não se exijas ter que resolver tudo hoje, hein? 😉
    Um abraço

  • Categorias:

    Habitualmente:

    Sobre Tania Sanz:

    Empreendedora, escritora, nutricionista e apaixonada pelo esporte. Minha missão é ajudá-lo a melhorar seus hábitos e transformar sua vida.

    Os suscritores recebem cada semana grátis minhas melhores dicas e estratégias baseadas em evidência científica sobre temas como , e parar .

    © 2014 – 2018
    mude sua mente, mude seus hábitos, mude sua vida

    Cariños
    132

    Clique aqui para dar um gosto:

    ×

    Põe o teu primeiro nome e o seu e-mail para receber minhas atualizações GRATUITAMENTE!

    Não te mandar Spam nunca. Apenas informações úteis. Pode desisitir da newsletter em qualquer momento.

    ×

    Gostaria de saber como
    mudar seus hábitos e melhorar a sua vida?

    (Sem motivação, disciplina ou força de vontade)

    Qual o e-mail te envio os 3 vídeos grátis?

    Só recebe informação util e você pode cancelar quando quiser com apenas um clique.

    ×

    50% Concluída

    Receba GRÁTIS Meu Curso De 3 Vídeos Para Mudar Seus Hábitos E Transformar Sua Vida

    ×

    About the Author